top of page

O paradoxo do pássaro livre

A série de pinturas "O paradoxo do pássaro livre" por Samara Danelon propõe uma análise do conflito implícito às expectativas sociais impostas às mulheres na contemporaneidade. A artista examina a construção histórica do papel feminino, questionando a concepção tradicional de "feminilidade" como uma estratégia de repressão em uma sociedade patriarcal.



Recorte de fotografia da obra "2", Série "O paradoxo do pássaro livre", 2023

As obras desafiam estereótipos ao apresentar retratos de mulheres reais, convidadas pela artista a serem protagonistas de sua própria representação. Elementos do ambiente doméstico, como bordados e louças, são incorporados para contextualizar e subverter a visão tradicional que associa as mulheres à domesticidade e delicadeza.


Adotando uma perspectiva feminista na interpretação da história, as obras destacam a repressão histórica que limitou as mulheres ao ambiente doméstico, em uma alusão à gaiola dos pássaros. A artista propõe uma narrativa alternativa, questionando a ideia preconcebida da "feminilidade" como inata e reconhecendo a habilidade feminina de costurar o próprio destino.


A técnica de pintura em blocos de cores, assemelhando-se a uma colcha de retalhos, torna-se um veículo visual para explorar a habilidade das mulheres em consertar, reinventar e reconstruir. A presença simbólica da linha vermelha representa, ora a dor, ora a força resiliente necessária para superar repressões e abusos.


A metáfora visual da quebra e reconstrução em algumas obras destaca a resiliência das mulheres, a capacidade de dar nova vida às narrativas fragmentadas, uma expressão de renovação e reconstrução.


Através da série "O paradoxo do pássaro livre", Samara Danelon promove uma reflexão sobre a vida das mulheres, oferecendo um convite à análise crítica das estruturas sociais e históricas que moldaram o papel das mulheres.



20 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page